Transtorno dismórfico corporal

transtorno-dismórfico-corporal-300x194

Quando você tem transtorno dismórfico corporal, você fica obcecado intensamente com a aparência, checando repetidamente o espelho, cuidando ou buscando tranquilidade, às vezes por muitas horas todos os dias. Sua falha percebida e os comportamentos repetitivos lhe causam sofrimento significativo e afetam sua capacidade de funcionar em sua vida diária. Acompanhe nesse post como identificar os sintomas!

Mas afinal, o que é transtorno dismórfico corporal?

Transtorno dismórfico corporal é um transtorno mental em que você não consegue parar de pensar em um ou mais defeitos percebidos em sua aparência – uma falha que, para os outros, é menor ou não é observável. Mas você pode se sentir tão envergonhado e ansioso que pode evitar muitas situações sociais.

Você pode procurar inúmeros procedimentos cosméticos para tentar “consertar” sua falha percebida. Depois, você pode sentir uma satisfação temporária, mas muitas vezes a ansiedade retorna.

Sintomas

Indivíduos com diagnóstico de transtorno dismórfico corporal pensam sobre suas falhas na aparência por uma média de 3-8 horas por dia. Os sinais e sintomas incluem:

  • estar extremamente preocupado com uma falha percebida na aparência que para os outros não pode ser vista ou parece menor;
  • forte crença de que você tem um defeito em sua aparência que o deixa feio ou deformado;
  • crença de que outros notem de maneira negativa sua aparência ou zombem de você;
  • tentando esconder as falhas percebidas com o estilo, maquiagem ou roupas;
  • constantemente comparando sua aparência com os outros;
  • buscando frequentes procedimentos cosméticos com pouca satisfação;
  • evitando situações sociais;
  • estar tão preocupado com a aparência que causa grande angústia ou problemas em sua vida social, trabalho, escola ou outras áreas de funcionamento.

O transtorno dismórfico corporal geralmente começa no início da adolescência e afeta tanto homens quanto mulheres. Uma obsessão que a constituição do corpo é muito pequena ou não é suficientemente muscular (dismorfia muscular) ocorre quase exclusivamente em homens.

Quando devo procurar um médico?

A vergonha de sua aparência pode impedi-lo de procurar um tratamento. Mas se você tiver quaisquer sinais ou sintomas, consulte seu médico ou um profissional de saúde mental.

O transtorno dismórfico corporal geralmente não melhora sozinho e, se não for tratado, pode piorar com o tempo, levando a depressão severa, ansiedade e pode levar a pensamentos e comportamentos suicidas.

Causas

Não se sabe especificamente o que causa o problema. Como muitas outras doenças mentais, o transtorno pode resultar de uma combinação de causas, tais como:

  • Diferenças cerebrais – anormalidades na estrutura cerebral ou na neuroquímica podem desempenhar um papel na causa do transtorno dismórfico corporal.
  • Genes – alguns estudos mostram que o distúrbio é mais comum em pessoas cujos parentes de sangue também têm essa condição ou transtorno obsessivo-compulsivo.
  • Meio Ambiente – seu ambiente, experiências de vida e cultura podem contribuir bastante para o problema, especialmente se envolver avaliações sociais negativas sobre seu corpo ou autoimagem, ou mesmo negligência ou abuso na infância.

Prevenção

Não há maneira conhecida de prevenir o transtorno dismórfico corporal. No entanto, como o desgosto geralmente começa no início da adolescência, identificar o transtorno precocemente e iniciar o tratamento pode trazer algum benefício.

O tratamento de manutenção em longo prazo também pode ajudar a prevenir uma recaída dos sintomas. Por traz deste distúrbio, existe um intenso sentimento de menos valia, da busca incansável de reconhecimento, de se sentir desejada, admirada e amada. Ou seja, uma fome de amor.

Deixe um comentário